Suspensão - resolvido!

Muitas vezes considerada «magia negra», a afinação da suspensão não deverá ser um problema. Acompanhámos os especialistas da equipa Honda Gresini MotoGP apoiada pela Castrol para saber de que forma.
Ajustar a sua própria suspensão pode ser um verdadeiro desafio. Há um número aparentemente infinito de configurações e combinações possíveis, mas a personalização da sua própria mota ao seu estilo é extremamente gratificante e pode até poupar algum dinheiro. É por isso que elaborámos este guia simples. Em primeiro lugar, vejamos os níveis de arqueamento traseiro e frontal. Trata-se da base que devemos definir antes de continuarmos.

SUSPENSÃO TRASEIRA

Em primeiro lugar, levante a roda traseira até não poder mais sem que a roda perca o contacto com o chão. Meça a extensão entre dois pontos – eixo e uma peça reconhecível na parte traseira é a melhor forma – e anote. Peça a ajuda de alguém para segurar a parte traseira da mota enquanto faz peso para baixo e liberta o peso. Desta forma, a suspensão volta à sua posição de descanso. A sua mota deve estar agora mais baixa do que antes de aplicar o peso. Meça a diferença entre os dois pontos e obterá a medição de arqueamento estático.

SUSPENSÃO DIANTEIRA

Novamente, levante a parte frontal para medir a extensão completa entre o eixo e a parte inferior da forquilha, a seguir, aplique pressão nas forquilhas e deixe voltar ao seu ponto de descanso natural antes de a voltar a medir. Deverá procurar um nível entre 20-30mm de curvatura estática na parte traseira e dianteira. Se conseguir obter essa medida, coloque um cabo à volta do deslizador da forquilha para saber qual o deslize da forquilha usa ao travar. Numa situação ideal, deverá obter entre 10-15mm.

Agora que já vimos tudo isto, vejamos alguns problemas comuns que poderá ter com a sua mota e o que pode fazer para os resolver. O melhor é passar um dia com estes procedimentos. Faça os ajustes e depois faça novamente o mesmo percurso. Volte depois, anote as diferenças de que se deu conta e repita. Tente repetir os procedimentos num dia com as mesmas condições meteorológicas e de estrada.

RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS COMUNS

As forquilhas ficam presas em baixo ou saltam ou fazem ruído ao travar: Adicione pré-carga para dar mais suporte às forquilhas. Depois de dar uma volta, volte a verificar a posição do cabo que colocou na forquilha. Encontra-se na parte inferior da forquilha, para além da área "ideal" de 10-15mm? Se for o caso, poderá querer adicionar alguma compressão e reduzir um pouco de recuperação. Na melhor das hipóteses poderá resolver o problema, na pior das hipóteses poderá necessitar de molas de forquilhas mais fortes ou lubrificante de forquilha mais espesso.

A mota entra em "tankslapper": Geralmente é provocado pelo facto da traseira da mota ser demasiado suave e agachar-se com a potência. Adicione pré-carga uma volta de cada vez. Adicione também um pouco de compressão. Se não resultar, atrase a recuperação traseira. Se persistir, poderá ser necessário colocar uma mola traseira mais rígida. Se a mota é antiga ou teve uma utilização intensiva, talvez seja necessário arranjar a suspensão.

A mota foge de frente ou não se segura em linha reta na curva SuSpenSiona: A mota tem a frente muito alta. Adicione mais recuperação ou ajuste a altura da traseira. Se não tiver ajuste da altura da traseira, adicionar mais pré-carga traseira. Tenha cuidado, uma vez que demasiada altura da traseira ou pré-carga pode provocar…

Falta de tração traseira: Reduza uma volta da pré-carga, e de seguida reduza a compressão em alguns cliques.

Tankslapping, fuga de frente e traseira solta também podem sugerir que está a conduzir muito perto do limite. Conduza sempre de acordo com as condições da estrada e respeite os limites de velocidade para não correr perigo.

Em última instância, configurar a sua mota é uma questão pessoal. Seja uma curvatura estática ou recuperação traseira, é importante descobrir qual a correta para si.

DICAS PRINCIPAIS

Verifique a pressão dos seus pneus! Grande parte dos problemas de estabilidade derivam mais de pressões erradas do que propriamente más definições de suspensão.

Se a sua mota parecer estar bem, não a ajuste. Não é necessário!

Não tema que as alterações tenham um efeito de detrimento significativo na estabilidade da sua mota: A sua mota de estrada normal não é tão inconstante ou sensível como uma mota de competição, nem mesmo grandes alterações tornarão a sua mota impossível de conduzir. Da mesma forma, os componentes da suspensão foram desenvolvidos para funcionar numa vasta gama de condições: em condições molhadas ou secas, uma ou duas vezes.

Se quiser ajustar a sua suspensão, então não se preocupe: Pode voltar a repor as definições consultando o manual do utilizador.

Anote tudo! Muito importante! Anote as definições iniciais e as alterações realizadas.

Peça a um amigo para o ajudar a manusear a mota.

GLOSSÁRIO

Pré-carga: A quantidade de tensão de uma mola sem carga (o piloto ou a força de travão). Sem ela, a sua mota arqueia com o seu próprio peso, se for demasiada, as molas praticamente não se mexem.

Amortecimento de recuperação: Controla a forma como as molas voltam ao estado inicial ou recuperam depois de serem comprimidas. Sem ele, a mota faria saltar o piloto para fora do assento com o mais pequeno solavanco.

Amortecimento de compressão: Controla a velocidade a que as molas comprimem quando sujeitas a pressão do peso, por exemplo: travagem, aceleração e passar por cima de lombas. Demasiado amortecimento de compressão e a condução torna-se dura e exigente; pouco, e a mota oscila de um extremo ao outro.

FORQUILHAS DIANTEIRAS

Ajustes de pré-carga: encontram-se a parte superior dos apoios da forquilha e normalmente requerem intervalos de 14 ou 17mm para serem ajustados. Os ajustes são feitos através de voltas e medidos pelos anéis marcados na parte exposta do ajuste.

Amortecimento de recuperação: Os ajustes de recuperação são os parafusos de cabeça plana na parte superior da forquilha. O ajustamento é medido por voltas, ou meias voltas. Algumas fazem um clique audível durante o ajuste para que possam ser contadas facilmente.

Amortecimento de compressão: Ajustado com uma pequena chave-de-fendas na base de cada apoio da forquilha. Como na recuperação, contar cada meia volta ao ajustar. Lembre-se de ajustar cada apoio da mesma forma.

AMORTECEDOR TRASEIRO

Ajuste de pré-carga: Encontrará um colar com uma descrição no amortecedor traseiro. Alguns encontram-se na parte inferior mas a maior parte encontra-se na parte superior do amortecedor. Para tal precisará da chave C do kit de ferramentas. Verifique novamente o manual do utilizador para consultar as definições de origem.

Amortecimento de recuperação: De novo, trata-se normalmente de um ajuste de chave-de-fendas e encontra-se na parte inferior do amortecedor o que dificulta o acesso.

Amortecimento de compressão: Mais um pequeno ajuste e deverá ficar na parte superior do amortecedor ou no reservatório remoto, se o amortecedor tiver um.

Altura de condução: Algumas motas desportivas modernas podem não ter. Trata-se de uma porca de ajuste de rosca na parte superior ou inferior do amortecedor que levanta a extremidade traseira da moto para a ajudar a virar rapidamente, colocando mais peso na frente. Muitos amortecedores pós-venda têm este ajuste.