IT'S MORE THAN JUST OIL. IT'S LIQUID ENGINEERING.

  1. PÁGINA INICIAL
  2. A HISTÓRIA DA CASTROL
  3. SALA DE IMPRENSA
  4. COMUNICADOS DE IMPRENSA
  5. A CASTROL REINVENTA OS FLUIDOS DE CORTE

A CASTROL REINVENTA OS FLUIDOS DE CORTE

Castrol Alusol SL 51 XBB fornece vantagens concretas sem compromissos associados

A definir novos padrões para a produtividade, qualidade, segurança e rentabilidade

17 de agosto de 2016 – a Castrol, o maior fabricante global de lubrificantes, reinventou os fluidos de corte com o lançamento de Castrol Alusol SL 51 XBB.

Criada para apoiar o fabrico de componentes de metal, a tecnologia pioneira de fluidos de corte Castrol mantém níveis de pH constantes (9-9,5) e condições estáveis durante mais tempo em comparação com outros fluidos de corte convencionais. Isto reduz a necessidade de adicionar aditivos de tratamento e biocidas dispendiosos, para além de evitar alterações de sistema avultadas e sem controlo. Embora os produtos Alusol XBB da Castrol não dependam da utilização de agentes libertadores de boro ou formaldeído nem de pacotes adicionais de aditivos de biocidas e fungicidas, mantêm a capacidade de cumprir e superar as expetativas de vida útil da tecnologia de referência até à data. Em muitos casos, os clientes conseguiram reduzir significativamente ou eliminar totalmente a utilização de biocidas dos seus processos de gestão.

Os fluidos de corte desempenham um papel fundamental no fabrico de vários tipos de componentes de metal. Uma das principais desvantagens da tecnologia tradicional é que, com o passar do tempo, o fluido pode tornar-se alvo de proliferação bacteriana e contaminação resultando no “desaparecimento” do fluido. Tal pode dar origem a problemas como a redução do pH, odores desagradáveis, emulsão instável e mau desempenho. Criados a partir de uma descoberta alcançada pela engenharia líquida da Castrol, estes novos produtos Alusol XBB redefinem as propriedades dos fluidos de corte dado serem resistentes ao ataque ácido das bactérias mantendo comprovadamente o pH a um nível constante, sendo, como tal, mais resistentes à proliferação bacteriana.

Pawan Sabharwal, vice-presidente do departamento de veículos pesados e industriais da Castrol Índia, afirmou: “Os nossos engenheiros de líquidos reinventaram os princípios fundamentos da tecnologia de fluidos de corte. Ao ter um maior controlo do pH, a dependência de biocidas de curta duração para o controlo de bactérias é significativamente reduzida ou eliminada. Tal traduz-se, em última análise, em melhorias significativas para o controlo dos custos de fabrico, aumento da produtividade, proteção da qualidade dos produtos finais e cumprimento dos requisitos de HSSE (Saúde, Segurança, Ambiente).”

Como a vida útil do fluido de corte é aumentada, os custos associados à eliminação do fluido gasto são reduzidos e a estabilidade do sistema minimiza a exigência de regimes de manutenção dispendiosos. Mesmo em concentrações baixas, os produtos Castrol Alusol XBB mantêm o desempenho da maquinaria e podem ajudar a proteger da corrosão e da formação de manchas. As excelentes propriedades lubrificantes ajudam a evitar a acumulação de resíduos assegurando um acabamento de superfície de alta qualidade e baixas taxas de aparas.

Castrol Alusol SL 51 XBB melhora o desempenho de precisão em máquinas de alumínio. Neutraliza até 33% mais material ácido do que os fluidos de corte* de alumínio convencionais e reduz os volumes gerais de enchimento e fluido até 30%**, garantindo simultaneamente uma precisão máxima de corte. Estes produtos fazem uma nova otimização do fluido em utilização e reduzem significativamente ou podem eliminar a necessidade de aditivos biocidas.

A nova tecnologia de fluido de corte da Castrol também apoia produtos que tenham um impacto positivo no perfil de HSSE da organização ao melhorarem significativamente o ambiente e as condições de trabalho da fábrica. Ao manter a estabilidade do sistema, os odores desagradáveis produzidos por uma emulsão que sofre de uma grande quantidade de bactérias são minimizados e a necessidade reduzida de testar os níveis de pH reduz as potenciais queixas de problemas de pele por parte dos funcionários. Além disso, a necessidade reduzida para a utilização de aditivos biocidas minimiza a necessidade de os funcionários terem de lidar com químicos perigosos.