Castrol Industrial Lubrifica as Rodas do Sucesso da NASA

Terça-feira, 22 janeiro de 2013.  Quando a sonda Curiosity da NASA começou sua empolgante missão em Marte no início de agosto, um lubrificante industrial inovador da Castrol chamado Castrol Braycote 601 EF ajudou a garantir seu bom funcionamento, desde as rodas até suas câmeras.

"Se é uma parte móvel, provavelmente tem Castrol Braycote 601 EF nela", disse Keith Campbell, gerente de desenvolvimento de negócios da Castrol Industrial Lubricants, cuja equipe liderou o desenvolvimento desta tecnologia, trabalhando em colaboração com a NASA. "Na verdade, o sucesso da missão Curiosity em parte depende do sucesso deste lubrificante, formulado para atuar no programa espacial em temperaturas que variam de menos 80 a 204 graus Celsius".

O importante não é só a lubrificação que este produto oferece, mas devido à característica de baixa liberação de gases do Castrol Braycote 601 EF, o produto deve assegurar que os vários instrumentos e componentes sensíveis da sonda possam funcionar adequadamente, permitindo que a Curiosity investigue Marte, sua atmosfera e solo.
"Castrol Braycote 601 EF resiste ao que é conhecido como "desgaseificação" ou a perda do próprio lubrificante por evaporação, o que significa que os instrumentos trabalham em seus níveis ideais, mesmo em temperaturas extremamente altas", disse Campbell.

O lubrificante é frequentemente usado em aplicações espaciais, incluindo o Ônibus Espacial, os satélites e a Estação Espacial Internacional. É um excelente lubrificante com ampla faixa de temperatura para aplicações espaciais e de aplicações de fabricação em vácuo, também deve ser considerado em qualquer aplicação onde existam produtos químicos hostis ou condições ambientais extremas que impeçam o uso de um lubrificante comum.

As aplicações comuns incluem rolamentos esféricos e cilíndricos, engrenagens e como um lubrificante de montagem para O-rings e elastômeros. "Também estamos trabalhando em colaboração com a NASA para desenvolver outros lubrificantes técnicos que atendam aos desafios crescentes da exploração espacial", Campbell concluiu.