Castrol e Triumph: a história de uma parceria lendária

Castrol e Triumph: uma parceria que pode se orgulhar da longa e bem-sucedida tradição. Impulsionadas por um espírito pioneiro, elas produzem motocicletas de alto desempenho e lubrificantes avançados desde o início do século XX.  Juntas, essas duas parceiras de tecnologia se mostraram imbatíveis em diversas ocasiões.

A Triumph deteve o recorde mundial de velocidade em terra de 1956 a 1970, com uma breve interrupção de 33 dias (quando a NSU deteve o recorde, feito de Wilhelm Herz). Durante esse período, a Triumph estabeleceu um novo recorde em quatro ocasiões: em 1956, com a Devil's Arrow pilotada por Johnny Allen; novamente em 1956, com Johnny Allen na Texas Ceegar; em 1962, com a Dudek/Johnson pilotada por William Johnson; e em 1966, com Robert Leppan a bordo da Gyronaut X1.
Na mesma época em que a Triumph batia recordes nas décadas de 1950 e 1960, a Triumph Bonneville era fabricada – de 1959 em diante. Na época do lançamento, essa moto era a mais rápida do mundo. E, assim como foi com a Triumph, aconteceu com a Castrol. “A Castrol sempre esteve envolvida ativamente com as corridas de velocidade em terra, em várias plataformas no mundo todo e desde que os competidores começaram a correr no deserto de sal Bonneville, em 1914”, conta Rob Corini, gerente da marca Castrol.

A Castrol Rocket – projetada para, nos próximos meses, bater o atual recorde de velocidade com motocicletas no deserto de sal Bonneville, no estado norte-americano de Utah – é abastecida com Castrol Power1 e, até o momento, representa o destaque da cooperação entre a Castrol e a Triumph. As duas partes não apenas defenderam os serviços do piloto Jason DiSalvo e do fabricante de motores Bob Carpenter em relação à moto encarregada de quebrar o recorde. O terceiro membro fundamental da equipe é Matt Markstaller. O engenheiro é especialista em aerodinâmica e inclui em sua lista de realizações a concepção e construção de um túnel de vento destinado especificamente a caminhões articulados no estado norte-americano de Oregon.
“A Castrol sempre esteve envolvida ativamente com as corridas de velocidade em terra, em várias plataformas no mundo todo e desde que os competidores começaram a correr no deserto de sal Bonneville, em 1914”
Rob Corini, gerente da marca Castrol.